Factorama: http://factorama2.blogspot.com Publicação de divulgação científica em meio eletrônico.
Factorama

Atualizado diariamente - www.factorama.com.br - ISSN: 1808-818X

Evolução

quarta-feira, janeiro 16, 2008 6:58:00 PM

Peixe cego recupera visão após 1 milhão de anos no escuro FOLHA DE SÃO PAULO

Experimento cruzou indivíduos de populações diferentes que viviam em caverna e resultou em filhotes que enxergam. Animal de olhos "atrofiados" já despertava interesse de Darwin; novo estudo reforça teoria ao mostrar caminhos múltiplos da evolução Ricardo Bonalume Neto escreve para a "Folha de SP":Milagres acontecem, se você descobrir a receita certa do "criador". Recuperar a visão de uma espécie de peixes que é cega há um milhão de anos é um bom começo. O cruzamento de populações diferentes de peixes cegos mexicanos resultou em alguns casos em descendentes capazes de enxergar já na primeira geração.O aparente "milagre" da ciência é explicado pela genética e pela evolução biológica: "A paleta [de opções] da evolução é variada", diz o pesquisador responsável, Richard Borowsky, da Universidade de Nova York. "Há numerosas maneiras genéticas de obter a mesma mudança." Borowsky é um dos maiores especialistas nesse tema bem específico: peixes de cavernas. São animais que costumam ser dotados de duas características singulares e merecedoras de estudo -são cegos e albinos. No escuro completo, olhos ou pigmentação são supérfluos. E essas características estão fielmente expressas nos genes. O interesse por esses animais existe desde a época de Charles Darwin (1809-1882), o pai da teoria da evolução, que chegou a escrever sobre como a falta de uso da visão pelos peixes de caverna acabaria por eliminar seus olhos.
Quando fala em paleta, Borowsky quer dizer que há diferentes caminhos para os peixes terem ficado cegos. Ou seja, são mutações em distintos conjuntos de genes que podem causar a cegueira. No caso dos peixes de caverna, esse processo teria ocorrido de forma separada "pelo menos três vezes". Teoricamente, bastaria então cruzar populações diferentes, cada uma com deficiências visuais originadas de genes distintos, para que os bons genes de um provavelmente cancelassem os problemas do outro.E a idéia, afinal, deu certo em cruzamentos em laboratório, relata estudo de Borowsky na revista "Current Biology".
Os cruzamentos em laboratório entre peixes cegos de diferentes cavernas resultaram maiores e melhores "olhos" rudimentares. E houve mesmo os que ganharam olhos capazes de enxergar. Em um dos mais bem-sucedidos cruzamentos, 40% dos filhotes enxergaram.
E se populações hoje distantes de peixes cegos de algum modo se mesclassem no futuro em presença de luz?"Se você hibridizasse duas populações separadas de peixes cegos da caverna e os colocasse num lugar com luz, eu suspeito que a pressão da seleção [natural] seria suficiente para restaurar a visão para o conjunto da população em um tempo relativamente curto, menos de cem gerações", disse o pesquisador em entrevista à Folha.
O nordeste do México possui um raro e importante laboratório natural: uma série de cavernas sem luz na qual vivem 29 diferentes populações do peixe cego conhecido pelo nome científico Astyanax mexicanus, e pela popular alcunha tetra-cego. O peixinho atinge no máximo uns 12 centímetros. As cavernas, distantes entre si, não repartem água da mesma bacia, e isso isolou as populações de peixes por centenas de milhares de anos. Cada uma evoluiu de modo separado."A retina é o tecido metabolicamente mais ativo do corpo e é um custo significativo para o animal. Quando não são necessários, olhos são nocivos", explica o pesquisador da Universidade de Nova York. (Folha de SP, 12/1)

Marcadores:


Copyright © 2003 - 2010 Factorama. Os artigos contidos nesta revista eletrônica são de responsabilidade de seus autores. A reprodução do conteúdo, total ou parcial é permitida, desde que citado o Autor e a fonte, Factorama http://factorama2.blogspot.com. Publicação de divulgação científica em meio eletrônico. Destinada ao debate político, econômico, ambiental e territorial, com atualização diária. Ano 6, Primeira edição em julho de 2003. BLOG é abreviação de weblog. Vem de web, que significa internet, e log, de conectar-se à rede. Qualquer publicação freqüente de informações pode ser considerado um blog.

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Página Principal - Arquivo Morto do período de 12/2003 até 03/2006
 

A motosserra está de volta!!!

Motosserra

Copyright © 2011 JUGV


Arquivos FACTORAMA



Site Feed Site Feed

Add to Google